O fenômeno da geada

Do ponto de vista meteorológico, geada é nome dado ao fenômeno de congelamento do orvalho que fica depositado nas superfícies ao ar livre. É importante salientar que, diferentemente da neve que se precipita das nuvens, a geada ocorre nas superfícies que estão ao relento, ou seja, é na umidade presente na relva, plantações e carrocerias de automóveis que o fenômeno acontece.

 As circunstâncias que geralmente provocam a geada são a combinação da entrada do ar polar com a ausência de nuvens. Tais fatores propiciam a queda brusca de temperatura durante a noite. No Brasil há diversos registros de geadas, com destaque ao episódio ocorrido em 18 de julho de 1975, que impactou principalmente a região norte do estado do Paraná, onde na época havia a produção de cafeicultura em larga escala, com cerca de 1,8 milhões de hectares.

Dentro do fenômeno, existem diferenciações feitas através dos potenciais danos que podem ser causados :

A Geada branca é a mais comum e ocorre com a cristalização do orvalho na superfície das folhas que estão expostas ao relento, destruindo o tecido. É também chamada de Geada Radiativa por acontecer devido à perda acentuada de calor na superfície em noites sem nuvens (sem retenção de calor pelas nuvens), combinadas com entradas de frentes frias.  

A Geada citada no caso da década de 70, é chamada de Geada negra ou Geada Advectiva, ou ainda de Geada de vento frio. Ela ocorre com episódios mais severos de queda de temperatura, ocasionados pelo avanço de massas de ar de latitudes mais altas, promovendo fortes ventos próximos à superfície. Esse tipo de geada tem como principal característica o congelamento da seiva das plantas, efeito que é capaz de comprometer colheitas inteiras sem chance de aproveitamento, deixando a plantação com aspecto ressecado e escuro.

Ainda existe uma terceira categoria de geada, chamada de Geada de canela, que é classificada a partir do tipo de dano causado à vegetação, que ocorre pela incidência de fortes ventos rasteiros, normalmente advindo de morros nas proximidades, que congelam a seiva das plantas na altura do caule próximo ao solo.

Sobre a previsão meteorológica

Hoje, com a implementação de modelos computacionais mais robustos, a previsão para tais fenômenos se torna um desafio possível para a meteorologia, podendo antever em cerca de uma semana a chegada de uma geada. Desse modo, com a tecnologia agrícola, por meio de aquecedores, sistemas de irrigação e estufas, se torna praticável a produção de culturas, ainda que frágeis a tais efeitos do tempo, promovendo assim uma maior estabilidade na produção do campo.

Quer prevenir sua plantação contra os efeitos de uma geada? Então, realize uma consultoria com a IAG Júnior!

A IAG Júnior se compromete a oferecer soluções inovadoras e personalizadas, que proporcionam um aumento de produtividade e redução de custos para os nossos clientes!

Agende uma reunião

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: